Alunos de universidade de Londres querem banir estudo de filósofos brancos

0
2285

Alguns dos maiores nomes da filosofia ocidental podem ser banidos de uma prestigiosa instituição de ensino de Londres. Alunos da Universidade de Estudos Orientais e Africanos (SOAS, em inglês) querem retirar figuras como Platão, Descartes e Immanuel Kant do currículo porque eles são brancos. As informações são d’O Globo.

O diretório dos estudantes faz a narrativa de que “a maioria dos filósofos de nossos cursos” devem ser da África ou da Ásia. Trata-se, segundo eles, de uma campanha de “descolonização” da universidade. Os “filósofos brancos” devem ser estudos apenas “se for necessário”, acrescentando que seu trabalho deve ser visto “de um ponto de vista crítico”.

O filósofo Roger Scrutton diz que a reinvindicação é ignorante: “Você não pode descartar uma área inteira de esforço intelectual, e claramente eles não investigaram o que entendem por filosofia branca. Se eles acreditam que existe um contexto colonial na obra de Kant, por exemplo, adoraria saber qual é”.

O vice-reitor da Universidade de Buckingham, Anthony Seldon, acrescentou: “Há um perigo real de que o politicamente correto esteja fora de controle. Precisamos entender como era o mundo, e não reescrever a História como alguns gostariam que ela fosse”.

A matéria d’O Globo – que costuma apoiar o politicamente correto – cita que o caso não está soando bem para os justiceiros sociais. O texto cita a Diretora do Departamento de Religião e Filosofia da universidade, Erica Hunter, afirmou que o ponto de vista dos estudantes é “ridículo”: “Eu resistiria firmemente à saída de filósofos ou historiadores no currículo”.

O fato é que a coisa já descambou e o politicamente correto está fora de qualquer cota de controle. Vai piorar antes de melhorar.