Catraca Livre tem colapso de bugs com “gordofobia” de Pablo Vittar

0
6810

É engraçado observar o duplo padrão da esquerda.

A narrativa do momento se baseia em atacar a sociedade “gordofóbica”. Antes de tudo, que fique claro: eu não acredito nisso de “gordofobia”. Não vemos pessoas querendo mudar de calçada ou fugindo de gordos por aí.

Mas o fato é que a esquerda está lutando para “gordofobia” ser um dos temas da atualidade.

Se assim o é, nota-se como eles sucumbem pelo seu próprio livro de regras.

Especialista em estimular tretas artificiais para capitalizar com ressentimentos de pessoas pertencentes às minorias, o Catraca Livre praticamente “travou” diante do fato de que Pablo Vittar – ícone atual da esquerda – fez um tuíte que “gordofóbico” (isso segundo o livro de regras da esquerda).

Mas vejam o título da matéria:

Como é? O Catraca Livre não disse que ela FOI “gordofóbica”, mas sim que foi chamada de “gordofóbica”.

Só que se estivéssemos diante de um adversário político, o Catraca Livre jamais diria que o oponente “foi chamado de (x)”. Diria: “é (x)”.

Observem os eufemismos: “Após ser acusado por internautas de ser ‘gordofóbica’, a cantora Pabllo Vittar apagou um tweet considerado preconceituoso, feito por ela em 2013”.

De novo o papo furado: o Catraca Livre diz que Vittar “foi acusado” ou e o tuíte “considerado” preconceituoso. Notaram que eles não utilizam o “é gordofóbico” ou “é preconceituoso”?

Duplo padrão na veia…

O tuíte de Vittar foi esse:

O duplo padrão do Catraca Livre fica evidente neste trecho: “A polêmica surgiu em meio a campanha #GordofobiaNãoÉPiada, reforçada após Danilo Gentilli atacar uma youtuber com mais uma piada de mau gosto por conta de uma matéria da BBC sobre gordofobia”.

Esperem aí.

No caso de Danilo Gentili, vemos que eles não dizem que “foi considerada uma piada de mau gosto”. Eles afirmaram que “foi uma piada de mau gosto”. Duplo padrão de novo.

Daí veio um desabafo de Pablo Vittar:

Quer dizer que o tuíte era falso, Vittar?

O detalhe é que, como vimos anteriormente na imagem inicial do Catraca Livre, a própria publicação lacradora reconheceu que Vittar apagou um tuíte.

De novo, eu não acredito nesse papo de “gordofobia”. Mas a extrema esquerda brasileira acredita (ou finge acreditar).

E por esse livro de regras, Vittar é “gordofóbico”.

Mas a atitude do Catraca Livre é apenas mais uma evidência de que eles não buscam proteger as categorias que fingem defender, pois não estão atacando Vittar da mesma maneira que atacariam Gentili.