Danilo Gentili expõe truque daqueles que simulam indignação como pretexto para processar Ratinho por crime de opinião

0
57972

Dias atrás, o apresentador Ratinho fez um vídeo para comentar o que interpreta como “exagero de viado” na programação e nas novelas da Globo.

Em seu vídeo, Ratinho não utilizou nenhum termo pejorativo, manifestando apenas um questionamento que existe no senso comum. Vale lembrar que não há legislação impedindo o uso do termo “viado”. Tanto que no Queermuseu havia uma obra citando a “criança viada” e isso não gerou nenhum processo (na verdade, a irregularidade estava apenas em liberar o acesso a crianças para obras que continham pornografia, bem como havia imoralidade no uso de verba estatal para o financiamento).

Seja lá como for, assista o vídeo:

https://www.youtube.com/watch?v=QujxJzjsz00

Agora a Defensoria Pública de São Paulo adota a narrativa de que o vídeo teria sido homofóbico.

Segundo matéria do TV Foco, “a Defensoria Pública de SP ofereceu na última quinta-feira (04) uma denúncia administrativa na Secretaria de Estado de Justiça e Defesa da Cidadania contra Carlos Roberto Massa, o Ratinho, acusado de ofensas homofóbicas após publicar na quarta-feira (03), um vídeo em que diz ter “muito viado” na Globo. A atuação é do Núcleo Especializado de Defesa da Diversidade e da Igualdade Racial da Defensoria Pública”.

A Defensoria adotou a narrativa dizendo que o apresentador usou o termo “viado” em sentido pejorativo, “com o intuito de, propositadamente, reforçar a ideia negativa e discriminatória do termo”.

Quero só ver como conseguirão provar essa intenção, bem como a “ideia negativa”.

A matéria do TV Foco segue: “A Defensoria Pública, então, pediu que a Secretaria de Estado de Justiça e Defesa da Cidadania instaure um processo administrativo e, ao final do procedimento, aplique multa ao apresentador por discriminação homofóbica, com fundamento na Lei Estadual nº 10.948 de 2001, que prevê punições administrativas para pessoas físicas e jurídicas por atos de preconceito por orientação sexual”.

Rodrigo Leal da Silva, da Defensoria Pública, fez uma narrativa dizendo que a fala do apresentador “é uma verdadeira exposição ampla via internet de ofensas homofóbicas proferidas conta os homossexuais de forma geral, tomando a homossexualidade masculina como algo negativo e ruim que, necessariamente, desqualificaria e depreciaria a programação de uma emissora de televisão”.

Bem, se o apresentador quiser processar Rodrigo Leal da Silva, vai ficar fácil, pois há várias afirmações sem provas aí em cima.

A respeito disso, Danilo Gentili comenta: “Até onde vai o mimimi e o melindre? Até que ponto chegará esse fingimento choroso e essa atuaçãozinha mequetrefe de indignação? Quanto mais longe vão mais patético ficam e todos percebem: Se ficar ofendido dá poder os canalhas passam a se ofender com mais facilidade”.

Veja:

Ao que parece vai começar uma guerra com foco na censura de adversário, e os alvos estarão apontados para a TV Record e o SBT, empresas que dão mais espaço para conservadores em comparação com a TV Globo.