Em um ano, Trump dissolve boa parte da herança maldita de Obama

0
2770

Uma matéria da Folha faz uma análise – quase como se eles estivessem em depressão – do primeiro ano do mandato de Trump. O título é “Em um ano, Donald Trump dissolve herança do governo de Barack Obama”. Bem, só se foi a herança maldita. Mas, pensando bem, não é para isso que ele foi eleito? Se fosse para manter o que Obama fez, era para terem eleito Hillary.

A matéria lembra que o que sobrou foi o Obamacare. De resto, muita coisa esquerdista já caiu.

Por exemplo, Trump deu uma guinada em políticas ambientais, imigratórias, diplomáticas e fiscais do governo esquerdista. Ou seja, as principais medidas feitas para beneficiar a elite bilionária – que sempre financia a esquerda – forma por água abaixo.

O esquerdista Rafael Ioris, professor da Universidade de Denver, diz que “vai ser difícil reconstruir essas políticas num cenário de polarização como o atual”.

A Casa Branca comemorou o fim das “onerosas regras e regulações da era Obama”, que de fato atrapalhavam a vida de americanos e danificavam a economia do país, conforme destacou no balanço de um ano de governo.

A Folha lembra: “Nos últimos meses, Trump anunciou a saída do Acordo de Paris sobre o clima; reverteu parte do histórico acordo com Cuba, ao restringir viagens e negócios entre americanos e cubanos; suspendeu o acordo nuclear com o Irã ; e deixou a Parceria Transpacífico, peça central da estratégia comercial americana. Além disso, seu governo suspendeu dezenas de regulamentações federais, revogou a entrada de transgêneros nas Forças Armadas (ato do qual só recuou na sexta, 29, depois de sucessivos bloqueios da Justiça a sua aplicação), tornou facultativo o financiamento de métodos contraceptivos por planos de saúde e acabou com o princípio da neutralidade de rede —todos negociados durante o governo Obama”.

Por fim, a matéria aponta: “No apagar do ano veio a aprovação da reforma tributária, que promete repercutir nas políticas públicas e impulsionar novas vitórias republicanas no Congresso, minimizando o legado democrata”.

Dá para concordar com 90% (no mínimo das ações de Trump). Agora fica o choro da elite que financia a esquerda.