Jean Wyllys faz post delirante e nonsense após nova capa da revista Istoé

0
9140
Foto: Geraldo Magela/Agência Senado.

O deputado Jean Wyllys, do PSOL, fez um post esquisitíssimo após a nova capa da revista Istoé, que apontou pessoas que representariam os principais brasileiros de 2017.

Eu seu Instagram (compartilhado no Twitter), Wyllys escreveu, a respeito da capa: “Isto é racismo. Isto é classismo. Isto é mentira. Isto é homofobia. Isto é governismo. Isto é cafona. Isto é vendido. Isto é uma vergonha!”.

Porém, a capa traz nomes bem diversificados, como o apresentador Luciano Huck, que passou a ser cogitado para a presidência (mesmo que tenha alegado desistência, o que é inconvincente até o momento), o prefeito de Salvador ACM Neto (o mais bem avaliado entre as 26 capitais do país), o pianista João Carlos Martins, o atleta Alan Ruschel (que se recuperou de uma lesão na medula após a tragédia com o avião da Chapecoense e já está de volta aos campos) e diversos outros.

Aliás, a capa inclui também alguém da turminha que o PSOL adora, como Malu Vilella, que dirige o MAM e o Itaú Cultural, e ficou do lado da elite artística de extrema esquerda.

À frente de todos está o juiz Sérgio Moro, que dispensa comentários. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, também é merecidamente citado por estar comandando a retomada da economia, principalmente após passarmos por um governo que quase nos transformou numa Venezuela.

 

Mesmo com nomes contraditórios (como Malu Vilella e Luciano Huck), nada justifica o chilique de Wyllys.