Mendonça Filho esvazia ideologia de gênero na base curricular e atende à pressão do povo

0
3685

O Ministério da Educação do governo Michel Temer excluiu menções às narrativas esquerdistas que fingiam “combater discriminação de gênero” (mas de fato pregavam a ideologia de gênero, sob pretextos) da nova versão da Base Nacional Comum Curricular. As informações são da Folha.

A pasta incluiu esse tema na parte de ensino religioso, para que se discuta nas escolas concepções de “gênero e sexualidade” de acordo com as tradições religiosas. Educadores da extrema esquerda ficaram fulos.

A base define aquilo que os alunos devem aprender, a cada ano, na educação básica. Só a parte que vai da educação infantil ao ensino fundamental está em discussão.

As pressões foram importantes e a decisão evita o maior risco da nova BNCC, que poderia obrigar a ideologia de gênero nas escolas, o que estabeleceria a doutrinação oficial e daria espaço para narrativas da extrema esquerda.