Padre escocês desrespeita príncipe George e pede orações para “moldar” sua orientação sexual

0
2407

Um padre escocês pediu orações para que o príncipe George da Inglaterra, que tem 4 anos e é o terceiro na linha de sucessão ao trono, seja homossexual e ajude assim à normalização do matrimônio gay.

De acordo com o Globo, Kelvin Holdsworth, reitor da Catedral de Glasgow (norte) e figura prominente da Igreja Episcopal escocesa (que faz parte da comunidade anglicana), causou polêmica na imprensa nesta sexta-feira (1/12) ao fazer essa proposta em seu blog.

Holdsworth alegou que para conseguir que a Igreja aceite o casamento homossexual existe a “opção de rezar, na privacidade de seus corações (ou, em público, caso se atrevam), para que o Senhor abençoe o príncipe George com o amor, quando crescer, de um bom jovem cavalheiro”.

“Um casamento real ajudará a solucionar as coisas de maneira incrivelmente fácil, apesar de termos que esperar 25 anos para que isso aconteça”, acrescentou.

Gavin Ashenden, antigo capelão da rainha Elizabeth II, bisavó de George, disse ao jornal Christian Today que a proposta é “desagradável e desestabilizadora, e equivale a uma maldição”.

“As expectativas de todos são que George reine um dia e produza um herdeiro biológico com uma mulher a quem ame”, diz. “É o equivalente teológico da maldição de uma fada malvada nos contos infantis”, acrescentou.

No fim das contas, o príncipe George deve ser o que ele quiser de acordo com sua orientação. Porém, querer decidir o destino dos outros – sem ter acesso às orientações e vontades individuais – é mais uma demonstração de desrespeito à individualidade.

O lema do príncipe George deve ser “meu corpo, minhas regras”. Goste o totalitário Holdsworth ou não.