Pela ótica esquerdista, o Pantera Negra seria um fascista por proteger sua civilização

0
580

Apesar do apoio esquerdista ao filme Pantera Negra, o longa da Marvel é de fato bom. A produção é bem feita, o roteiro é bem elaborado e a presença de atores negros não é forçada, mas natural, já que se trata de um reino africano onde seria natural a maioria ser negra.

T’Challa, personagem principal, é o Rei de Wakanda e também é o herói Pantera Negra. Ele governa seu reino preocupado com os interesses de seu povo e tenta ao máximo ser justo. A questão racial no filme é representada não por ele, mas pelo vilão, um primo distante que tenta o revanchismo contra os brancos.

Wakanda é uma nação conservadora que visa proteger sua cultura, não difere muito dos EUA. É tecnologicamente avançada e culturalmente elevada. Não é do interesse do rei ou dos cidadãos que sua cultura seja alterada por estrangeiros.

Na realidade, se a extrema-esquerda não estivesse pasma com o fato de haver atores negros num filme sobre a África teriam percebido que, segundo o que eles mesmos defendem, Pantera Negra seria um fascista por tentar proteger sua sociedade.

T’Challa não é tão diferente de Donald Trump. Tirando a cor da pele laranja e os trejeitos, os interesses seriam bem similares.